Alunos da Usina da Dança pisam em palco paulistano como Anjos do Quebra Nozes da Cia Cisne Negro

Alunos da Usina da Dança pisam em palco paulistano como Anjos do Quebra Nozes da Cia Cisne Negro

Tradição há 36 anos, a Cisne Negro voltou a apresentar em dezembro de 2019 sua reconhecida versão do clássico natalino O Quebra-Nozes, sob direção artística de Hulda Bittencourt. Mais uma vez, o espetáculo, apresentado de 12 a 22 de dezembro, contou com a participação de 12 alunas do Projeto Usina da Dança do Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça – IORM, que foram Anjos no espetáculo.

As apresentações dos anjos do IORM aconteceram nos espetáculos da manhã e noite de 18 de dezembro e na noite de 19 de dezembro. As alunas do Projeto foram acompanhadas pela diretora artística da Usina da Dança, Valéria Aparecida Pazeto, por Lucia Helena Gomes de Castro, Marina de Andrade, Isabela Cristina Mastroscosso de Oliveira, Maria Julia Pintar, Thais de Souza Alves e Maria Fernanda Garcia.

A delegação do Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça ficou hospedada em grande estilo no Hotel Transamerica. Os figurinos utilizados em cena pelos anjos foram doados pela Cia. Cisne Negro de Dança ao IORM.

Grandes nomes

Além do elenco fixo, dançam bailarinos e atores performáticos especialmente contratados. Os solistas convidados são Marcelo Gomes, brasileiro, estrela Internacional do balé; Alice Mariani, italiana, 1ª bailarina do Dresden Semperoper Ballet, Alemanha; e os brasileiros Cícero Gomes, 1º bailarino do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e sua partner Manuela Roçado (Rio de Janeiro).

Com direção artística de Hulda Bittencourt e Dany Bittencourt, o espetáculo contou com a colaboração de ensaiadores de expressão na área da dança, como a bailarina e maitre Daniela Severian e a ensaiadora da Cisne Negro Cia de Dança Patrícia Alquezar.

Tradicional na cidade de São Paulo, o espetáculo recebeu em 2012 o Prêmio Governador do Estado como Melhor Espetáculo de Dança – preferência popular. O Quebra-Nozes contou com a colaboração de ensaiadores de expressão na área da dança, como a professora Denise Siqueira (ex-bailarina e solista de O Quebra-Nozes) e a ensaiadora e assistente de direção da Cisne Negro Cia de Dança, Patrícia Alquezar.

O balé apresentou efeitos especiais circenses e acrobacia de tecido a cargo do Circo Escola Picadeiro, considerada uma das mais respeitadas escolas circenses do Brasil, criada em 1983, por Wilson Moura Leite, que tem em seu currículo ex-alunos atuando em importantes companhias no Exterior, alguns deles inclusive no Cirque Du Soleil.

No saguão do Teatro, houve apresentação de corais convidados, interpretando músicas natalinas, uma hora antes do início dos espetáculos, sob a coordenação da pianista Maria Inês Vasconcellos. O espetáculo contou com maquiagem e visagismo criados pela equipe Jacques Janine, sob a supervisão de Chloé Gaya.

O Quebra Nozes

A criação de O Quebra-Nozes foi inspirada em uma adaptação francesa de um trecho do conto Nussknacker und Mauserkonig (Quebra-Nozes e o Rei dos Camundongos), de Hoffmann. Tchaikovsky se encantou com as colorações sinistras e fantásticas que envolvem a história e compôs a música para o balé. O resultado é uma obra repleta de fantasia e romantismo.

Encenado em dois atos, o balé conta a fantasia de Clara, uma menina que na noite de Natal ganha muitos presentes, mas se encanta de uma maneira especial por um deles, um boneco quebra-nozes. Quando todos vão dormir, Clara vai à sala para brincar com seu novo presente, adormece e entra no mundo da fantasia – os brinquedos ganham vida, dançam, lutam, viajam para O Reino das Neves e Reino dos Doces, onde Clara e seu príncipe são homenageados com danças típicas de vários países e com um gracioso grand pas-de-deux da Fada Açucarada. Criada em 1891 pelo compositor russo Pyotr Ilyich Tchaikovsky, a versão da Cisne Negro Cia de Dança tem direção artística de Hulda Bittencourt e Dany Bittencourt.

Os 12 Anjos:

As bailarinas que integraram o espetáculo O Quebra Nozes:

  • Ana Clara Dinardi – Usina da Dança Orlândia
  • Maria Teresa de Pádua Silva – Usina da Dança Orlândia
  • Maria Júlia da Silva Amorim – Usina da Dança Orlândia
  • Lara Lima Ficher – Usina da Dança Orlândia
  • Eloáh Helena Cândido Rodrigues – Usina da Dança Orlândia
  • Júlia Rodrigues Primeiro – Usina da Dança Guaíra
  • Emanuele Ribeiro Rodrigues – Usina da Dança Guaíra
  • Júlia Milena Gerim – Usina da Dança Ipuã
  • Gabriela Reis Ferreira – Usina da Dança Miguelópolis
  • Rakelly Bondezan Rocha – Usina da Dança Miguelópolis
  • Mirella Pandolfi de Souza – Usina da Dança Miguelópolis
  • Lavínia Aparecida Gonçalves da Silva – Usina da Dança Miguelópolis

Post original: http://boletimatitude.iorm.org.br/alunos-da-usina-da-danca-pisam-em-palco-paulistano-como-anjos-do-quebra-nozes-da-cia-cisne-negro/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *