CHERCHÉ, TROUVÉ, PERDU

PATRICK DELCROIX

LEIA MAIS

2002

CHERCHÉ, TROUVÉ, PERDU

A busca faz parte do universo humano. As pessoas procuram, encontram e perdem

Em “Cherché, Trouvé, Perdú” (“Procurar, Encontrar, Perder”), Patrick Delcroix disseca as aspirações do ser humano: pessoais, afetivas, profissionais. “A busca faz parte do universo humano. As pessoas procuram, encontram e perdem”, conta Patrick. Nesta coreografia, a perda não é fortuita, ocorre por uma opção pessoal.

“Eu simplesmente decido perder. É uma situação cotidiana. E a vida continua…”, diz o artista. Como a perda é intencional, não há tristeza, apenas uma profusão de sentimentos explorada em cada movimento. “Cherché, Trouvé, Perdu” foi criado com o apoio cultural dos consulados da Holanda e da França.

FICHA TÉCNICA

Coreografia
Patrick Delcroix

Figurino
Patrick Delcroix e Camarim Artigos para Dança

Música
Arvo Pärt

Iluminação
Patrick Delcroix e André Bottó

Duração
18’

Ano
2002

SOBRE O COREÓGRAFO

PATRICK DELCROIX

Participou durante 15 anos do Nederlands Dans Theatre, de Jiri Kylian, uma das mais importantes companhias do mundo, primeiro como bailarino e depois como coreógrafo-residente. Delcroix participou dos trabalhos de grandes coreógrafos: Billy Forsythe, Mats Ek, Edouard Lock, Ohad Naharin, Nacho Duato, Hans van Manen, além de Kylian. A partir de 90, desenvolveu uma série de coreografias para diversos grupos europeus e desde 92 ensina o repertório do NDT no Conservatório Real de Hague. Em 2001, Patrick Delcroix foi nomeado pelo governo francês Cavalheiro das Artes e Letras por seu trabalho no mundo da dança. Além de Reflexo no Espelho, Delcroix já coreografou para a Cisne Negro Cia. de Dança, os balés Além da Pele, de 1998, e Cherché, Trouvé, Perdu (2002).