ANÉIS

DANY BITTENCOURT

LEIA MAIS

2003

ANÉIS

“Quando falamos de “Anéis” ele pode nos induzir a imagens, a movimentos, ao próprio objeto, a união, ao elo, a brincadeiras de infância, enfim tudo isso somando a bela criação musical de Adriana Calcanhotto que nos dá um resultado contemporâneo sobre a obra.”
(Dany Bittencourt)

Parte de simbologias associadas aos anéis em coreografia e trilha sonora assinadas por Dany Bittencourt e Adriana Calcanhoto respectivamente. Segundo a crítica de dança Célia Musilli, da Folha de Londrina, o espetáculo tem suingue brasileiro e moderno, ritmo de bossa nova, e é trabalhado de forma que faz a dança transgredir para o lúdico… ”Anéis” é a brincadeira da infância e também a aliança do casamento, é a relação dos sexos que arrebata num contexto de leveza de corpos que se ”anelam” em 20 minutos fortes de dança/delicadeza.

FICHA TÉCNICA

Coreografia
Dany Bittencourt

Música
“Maria Bonita” de Adriana Calcanhotto

Projeto de Luz
André Bottó

Figurinos
Eduardo Ferreira

Bijuterias
Marco Apollonio

Ano
2003

SOBRE O COREÓGRAFO

DANY BITTENCOURT

Daniele Bittencourt - Cisne Negro Cia de Dança

De nome artístico Dany Bittencourt iniciou seus estudos no Estúdio de Ballet Cisne Negro aos 3 anos de idade e formou-se pela Royal Academy of Dancing de London, no nível advanced. Fez aulas de aperfeiçoamento em balé clássico em Londres com Merly Park e Shirley Graham, entre outros. Aprimorou-se em técnica clássica e contemporânea, permanecendo 6 meses no Les Ballets Jazz de Montreal e 6 meses no Le Grand Ballet Canadien Foi, por 20 anos, bailarina da cisne negro cia. de dança, tendo se apresentado por todo o Brasil e por países como África, Escócia, Espanha, Inglaterra, Estados Unidos, Argentina, Canadá, Uruguai, Alemanha, Paraguai, Chile, interpretando obras e atuando como assistente de importantes coreógrafos e professores nacionais e internacionais, como Mark Baldwin (Inglaterra), Gigi Caciuleanu, Patrick Delcroix (França), Itizik Galili (Holanda), Victor Navarro (Espanha), Marc de Graef (Portugal), entre outros. É Diretora de Ensaios da cisne negro cia. de dança, onde também atua como coreógrafa, tendo em seu currículo obras criadas especialmente para a Companhia: : Baobá (2010, com direção geral de José Possi Neto), Abacadá (2009 – Direção Coreográfica), Forrolins (2009), Atmosferas (2006); A Viagem de Quixote (2005), Anéis (2003), Em Caso de…(2001) e Vem Dançar (2000), além de obras como “coreógrafa convidada”: Forrolins (Chile), Imagens Sonoras (Balé da Cidade de Taubaté), Don Giovanni (São Paulo).